Muitos de nós se lembram de algum brinquedo musical que marcou nossa infância. Seja um teclado, piano ou até mesmo microfone, tudo que produzia som era muito divertido. O mesmo acontece quando nos recordamos de alguma música que passou por diferentes gerações e permaneceu em nossa vida por longos períodos.  Isso ocorre porque várias canções estão presentes na rotina de todos nós, entretanto, na da criança, as melodias assumem papéis diferentes, pois contribuem para o sistema psicomotor – responsável pelas funções motoras e psíquicas, e também para o lado afetivo e linguístico.

Setores em que a música atua

A musicista Marcelle Rebeca Maganha nos explica que a infância é o período onde acontece o desenvolvimento de importantes competências e habilidades, características que acompanharão meninos e meninas por toda a vida. “Por causa disso, concluímos que as primeiras experiências de aprendizagem de uma criança determinarão a personalidade, autonomia e independência dela quando adulto. A música, em sua essência, facilita no melhor molde dessas questões, ajudando diretamente na inteligência, capacidade de expressão, competências, relações sociais e memória visual. O aprendizado da música vai além do ensino de algum instrumento, ele tem como influência em outras áreas do aprendizado da criança, como a de matemática/lógica, habilidades de leitura/escrita e meio artístico como criatividade/sensibilidade”, ressalta.

Musicalização com brinquedos

Agindo também como terapia, a música induz a liberação de hormônios de prazer e bem-estar, combatendo problemas de saúde como ansiedade, depressão e déficit de atenção. Os objetos simuladores musicais, como os brinquedos, são importantes desde a primeira infância. Isso porque contribuem para que os pequenos aprendam a distinguir ritmos, combinação de sons e desperta o intresse pela música. “Estudiosos dizem que entre os 2 e 7 anos são as idades em que as crianças têm mais habilidade por aprender algo. Começando pela musicalização (normalmente de 6 meses a 2 anos) e depois partindo para um instrumento musical específico. ”

Observe se o seu filho tem interesse

Ao que tudo indica, nunca é cedo para as crianças aprenderem e brincarem com música. “Comprovadamente, já se diz que nenhuma criança é alheia ao estímulo musical. A interação delas com a música pode ser despertada mais facilmente se já houver influencia familiar desde quando se está na barriga da mãe. Pais que colocam músicas calmas para bebes adormecerem ou se acalmarem, já os induzem a se interessar de alguma forma por ela.

Podemos despertar a curiosidade de uma criança também usando método interativos, divertidos e dinâmicos como o teatro, a dança […] quando a criança demonstra interesse desde cedo, ela confia, mesmo inconscientemente, a decisão de poder entrar nesse meio aos seus pais. Cabe a eles decidirem o que acham melhor para seus filhos. Porém, depois de todos esses benefícios estando no meio musical ditos acima, por que eles não incentivariam, não é mesmo?

Marcelle Rebeca Maganha é musicista formada em Piano Erudito pelo “Conservatório Dramático e Musical Dr. Carlos de Campos de Tatuí”, onde ganhou prêmio como: “Aluna Revelação” e “Destaque Mirim”. Atualmente, leciona aulas de técnicas de vocal/canto, piano popular/erudito e musicalização nas cidades de Lençóis Paulista, Bauru e Pardinho – SP.

>>> Leia mais artigos sobre o universo infantil aqui no blog

>>> Instrumentos musicais de brinquedo para estimular a música na criança

Escrito por: Maria Luísa Bergamasco

Jornalista. Acredita que através da informação e do conhecimento, famílias podem trocar experiências e expandir suas ideias. Adora ouvir histórias, comer petiscos e sentar em botecos.

Seja o primeiro a comentar esse post!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar