Batman Super-Herói

Batman – Um Super-Herói nas Sombras  foi criado em maio de 1939. Escrito por Bill Finger e desenhado por Bob Kane, com sua primeira aparição na revista Detective Comics #27. Logo que foi lançado, Batman se tornou um sucesso estrondoso, ganhando uma revista própria no ano seguinte.

O Começo

No início, o objetivo da DC Comics era descobrir uma nova “galinha dos ovos de ouro”. Já que no ano anterior o Superman tinha feito um enorme sucesso. Com a ideia de um novo sucesso, a editora entregou a Bob Kane o dever de criar um novo personagem.

Desenhado sobre referências como o Zorro – um grande sucesso na época – e o Ornitóptero – uma invenção nada convencional de Leonardo Da Vinci –, nasce a imagem de Batman, trazendo a imagem de um morcego através de asas com envergaduras e um uniforme negro.

Mesmo depois de ter desenhado o super-herói, Kane admitiu não ter pensando em um enredo. Talvez por isso a história propriamente dita de Batman só tenha aparecido em Detective Comics #33. Nesse arco somos apresentados a clássica história de Bruce Wayne – identidade secreta de Batman.

 A grande virada

Após testemunhar o cruel assassinato de seus pais na saída do cinema, Bruce jura vingança a todos os criminosos. Atormentado pelos acontecimentos desse dia, passa a treinar artes marciais e a se instruir intelectualmente, tornando-se um homem com especialidades incomparáveis, e um verdadeiro super-herói.

Originalmente, Bruce se inspira em um morcego após entrada de um por sua janela, entendendo isso como um sinal. Assim, começa a operar contra o crime de Gotham usando seu disfarce de Batman. Mesmo não tendo superpoderes, usa sua riqueza, habilidades e tecnologia com uma força implacável contra o crime. Além de ter uma capacidade de intimidação que sempre utilizou para amedrontar seus oponentes.

Gotham – O alvorecer da noite

A criação de Gotham City foi justamente para ajudar na expansão do universo Batman. Uma cidade fictícia, coberta de segredos e sombria como o próprio Morcego. Dominada pelo crime, nessa cidade somos apresentados a maior galeria de vilões da DC Comics. A maioria deles sem superpoderes, e que se baseiam apenas nas suas mentes psicóticas e totalmente perturbadas. Entre eles estão: Mulher-Gato, Pinguim, Duas-Caras, Charada, Espantalho, Chapeleiro Louco e Coringa.

Robin

Depois das primeiras aventuras sombrias de Batman, o super-herói Robin é acrescentado ao mundo do morcego em Detective Comics #38. O ajudante mirim com seu uniforme colorido e alegria típica de um adolescente, ajudou a atrair o público infantil para os quadrinhos. Ao mesmo tempo passou a auxiliar Bruce a ser mais social e em suas aventuras sombrias, já que nas edições anteriores ele era muito introspectivo.

Logo depois do período de adaptação desse novo personagem, já que até então, os únicos ajudantes que ele tinha para lhe auxiliar era o seu mordomo Alfred Pennyworth, e o comissário da polícia Jim Gordon, sendo esse último com grande senso de justiça, que tenta, a medida do possível, livrar a cidade da criminalidade e corrupção, Batman passa por momento históricos, como a Segunda Guerra Mundial, consequentemente, a Guerra Fria, que impõe regras as histórias de quadrinhos, para evitar críticas ou oposições ao capitalismo.

O lado cômico de Batman

Com histórias mais infantis e simples, os autores recorreram a criação de personagens descontraídos para acrescentar ao universo de Batman, e que poderiam proporcionar uma leitura séria e sem compromisso, surgindo assim, o Bat-cão e a Batwoman.

Batman - Um Super-Herói Nas Sombras

Mesmo durante esse período da história, em que a ciência avançava, novas tecnologias eram criadas, e a DC Comics travava com a Marvel uma constante concorrência. Batman ressurgiu das sombras de uma forma inusitada e ganhou notório sucesso em um seriado cômico da televisão. Estrelado por Adam West e Burt Ward, o seriado trazia uma certa alegria a vida de Batman, ao mesmo tempo que fazia as pessoas rirem com suas atrapalhadas cenas de ação.

Ainda sobre as influencias dos personagens realistas da Marvel, a DC Comics sabia que deveria se reinventar, e mudar a cronologia, que era uma das coisas a se fazer, já que antes os acontecimentos não tinham relevância nenhuma. Com isso, o Robin chamado Dick Grayson sai de cena, para assumir a identidade de Asa Noturna.

Novos Personagens

Na década de 80, a equipe de roteirista traz Robin de novo a vida. Mas dessa vez, como Jason Todd, um garoto revoltado com mundo, que teve seu pai assassinado pelo vilão Duas-Caras. Jason não foi um ajudante fácil para Batman, pois era desobediente, quebrava regras e sempre achava que estava certo. Algumas vezes, ele até levava a melhor, mas na grande maioria não, e talvez justamente por sua falta de responsabilidade que tenha morrido tão jovem no arco ‘Uma morte em família’ (A Death in the Family).

O Cavaleiro das Trevas

Com a morte de Jason nos aproximamos mais da obra prima de Frank Miller, O Cavaleiro das Trevas. Esse arco se tornou o marco para uma nova era nas histórias em quadrinhos de super-heróis que era considerado infantis na época. O formato e o papel mudaram e foram incluindo páginas extras em um encadernado de folhas brilhante. Ao todo, foram quatro edições, que foram suficientes para trazer ao mundo a história de Bruce aposentado e traumatizado pela morte de Jason.

Logo após alguns eventos, esse Batman sai das sombras e volta à ativa totalmente sombrio e violento. Transformando a história em uma sequência de momentos insanos juntamente com volta de dois dos seus principais vilões, Coringa e Duas-Caras. Batman nunca tinha sido retratado tão poderoso e amargurado até aquele momento. Com a nova roupagem de Miller, o personagem evolui para um intenso ao extremo, gerado em um universo alternativo para seu enredo.

Depois de uma nova reviravolta para os quadrinhos, a DC Comics sente seu império desmoronando nos anos 90. Os leitores começaram a considerar os enredos dos quadrinhos uma eterna repetição. Afinal, Batman sempre prendia seus vilões no final e eles sempre fugiam, e história se repetia novamente.

A Queda do Morcego

Os roteiristas Alan Grant, Doug Moench e Graham Nolan criam o longo arco de A Queda do Morcego. Esse arco mostra um Bruce totalmente esgotado mentalmente e fisicamente por anos e anos lutando contra o crime. Talvez tenha sido a maior realidade nos quadrinhos de Batman, heróis que se cansam, ainda mais quando não tem nenhum superpoder de cura.

Depois desse arco, o super-herói sofre algumas mutações simples nas mãos de roteiristas como Jeph Loeb,Tim Sale e Jim Lee. Entre algumas das histórias interessantes para se ler dessa época temos Batman: O Longo Dia das Bruxas e Batman: Terra de Ninguém, em que Gotham é destruída e cai em estado de caos.

Os novos 52

Em: Os novos 52, uma serie de quadrinhos lançados em 2012 até maio de 2016, Batman tem sua história reformulada. Mas, para muitos, essa foi uma ideia ruim, já que a mudança tirou a essência do personagem. O arco o deixou a mercê do mundo moderno sem a sombra que trazia desde os seus primórdios.

Batman Um Super-Herói Nas Sombras

Atualmente, está sendo lançado DC Rebirth, que surgiu como um renascimento para os quadrinhos da editora. Não só do personagem Batman, mas também de todos os outros personagens populares.

—> Bonecos e brinquedos do BATMAN

—> Conheça também: Coringa – uma vida entre risos – Galeria de Vilões

Escrito por: Iolanda Strambek

Primeiramente, não sou desse planeta. Sou uma padawan, e luto todos os dias contra o lado negro da Força. Minha fraqueza é a kryptonita e torço para que o inverno chegue logo. Entre, puxe uma cadeira e aproveite o conteúdo.

Seja o primeiro a comentar esse post!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar