Sendo o super-herói mais antigo já criado, o Super-Homem sempre foi um grande ícone na cultura pop. Ele também foi o primeiro a ter uma revista intitulada com seu nome Superman #1, e com esse título ele criou um legado de justiça. Criado em 1938, o Homem de Aço fez sua primeira aparição na revista Action Comics #1, que surgiu como marco para histórias em quadrinhos americanas de super-heróis.

Sendo uma legnda, é considerada hoje o item mais valioso para os colecionadores. A revista tinha o Super-Homem carregando um carro e deixando as pessoas aterrorizadas. O quadrinho mostrava que a identidade secreta do personagem seria de suma importante no decorrer das edições.

 

Super-Homem – Uma Lenda Na História Dos Quadrinhos

 

Enquanto Jerry Siegel e Joe Shuster tornavam-se amigos, algo inesperado aconteceu. Eles não esperavam que dessa união surgiria uma amizade sólida e que proporcionaria os melhores conteúdos para época. Os primeiros esboços surgiram em 1933, com a criação de um personagem que havia sido usado em alguns experimentos. A partir disso, começou a ter habilidades mentais, que desejava usar para dominar o mundo. Sim, o Super-Homem era o vilão. Entretanto, felizmente, a fanzine com o nome de The Reign of Superman, não deu muito certo.  Posteriormente, em 1934, o conceito de Super-Homem mudou e surgiu um homem que desejava lutar ao lado do bem. Porém, ninguém aprovou a ideia. Desse modo, o projeto de um Super-Homem integro e corajoso só foi aceito em 1938 pela National Periodical Publications, que os convidou para trabalhar na publicação de outros personagens para a revista Detective Comics, criando assim, o famoso detetive Slam Bradley.

Alguns meses depois, houve a oportunidade de publicação do Superman na revista Action Comics. Já na primeira tiragem o personagem foi um sucesso. Assim, teve início a Era de Ouro dos quadrinhos, que foi o período aproximadamente entre o final da década de 30, ao final da década de 40.

Mas o Super-Homem das primeiras edições não era como conhecemos. Sua maior diferença era que ele não voava, e só foi adquirir essa habilidade em 1941. Nessa época, Jerry Siegel e Joe Shuster já estavam sobrecarregados com a criação das tirinhas, e por isso, abriram um estúdio. Nesse lugar, contratando artistas, mas sem levar os credito pela produção. Ainda nessa época, outros escritores foram contratados pela editora Manly Wade Wellman, Edmond Hamilton e Alfred Baster para rechear ainda mais o enredo das histórias do Super-Homem.

Origem

Originário de Kripton, Kal-El como era conhecido, foi enviado ainda bebê para Terra pelos seus pais, Jor-El e Lara Lor-Van. Após sua partida, o planeta, que se encontrava com problemas sem seu núcleo, explodiu, deixando para trás o legado dos kriptonianos.

Na Terra, ele encontra Kal-El é Jonathan e Martha Kent. Esses dois personagens são fazendeiros e decidem criá-lo como um filho em uma pequena cidade no Kansas, chamada Smallville. Clark, como foi chamado, adquiriu superpoderes. Eventualmente, eles decidem manter esses poderes no anonimato, surgindo assim, o Super-Homem.

Na sua fase adulta, Clark Kent se mudou para Metrópolis e começou a trabalhar como repórter no Planeta Diário. No jornal, tornou-se namorado da repórter Lois Lane. Ele também tornou-se o melhor amigo do fotografo Jimmy Olsen, que sempre acabam se envolvendo com os inimigos do Super-Homem.

Conhecido com arqui-inimigo do Homem de Aço, Lex Luthor é um empresário e cientista ganancioso, que conhece Clark ainda na adolescência e fez o Super-Homem como seu maior adversário para seus ideais macabros.

Com o resto do seu planeta, vieram asteroides, entre eles, a pedra chamada kriptonita em seu interior, um mineral radioativo que Clark descobriu ser sua fraqueza.

Legado de Christopher Reeve no cinema como Superman

 

Legado de Christopher Reeve no cinema como Superman

 

Tudo começou com Warner Bros adquirindo a DC Comics. Com essa nova aquisição, logo surgiu a primeira ideia de fazer um filme do Super-Homem. Vários nomes foram citados para o papel, mas depois dezenas de testes, Christopher Reeve foi contrato, ainda como um ator iniciante. Mas em contrapartida, o elenco coadjuvante era recheado de atores consagrados, como Marlon Brando, Margot Kidder, Glen Ford, Gene Hackman e Suzanne York. Depois de algumas dificuldades em achar um roteirista, foi contratado Mario Puzo, famoso por seu trabalho em O Poderoso Chefão. Ele escreveu nada menos do que um roteiro de 500 páginas, que foi dividido em Superman e Superman II.

Satisfeita com trabalho de Puzo, a Warner autorizou a filmagem dos dois filmes simultaneamente. As filmagens eram para durar em torno de oito meses, porém, devido a alguns problemas como o estouro do orçamento, as discordâncias entre os diretores, a equipe decidiu abandonar o Superman II e focar em terminar o primeiro.

Era previsto para o filme ser lançado em junho de 1978, em comemoração aos 40 anos da Action Comics #1, mas a estreia só aconteceu em dezembro de 1978. Contudo, foi um estrondoso sucesso de bilheteria, arrecadando 300 milhões, com um gasto no orçamento do 55 milhões. Além disso, o filme ganhou o Oscar de melhores efeitos visuais, uma incrível realização para uma época em que não havia efeitos digitais.

Sendo dirigido por dois cineastas, Richard Donner e Richard Lester, o segundo filme não teve muito sucesso. Isso porque já no primeiro havia tido constantes problemas de filmagens. Inclusive, depois de seu lançamento, foi adicionado várias cenas excluídas devido a problemas. Porém, apenas em 2006 foi lançado uma versão estendida com as cenas excluídas que condizem com o ideal de Donner.

 

Super-Homem – Uma lenda na história dos quadrinhos

 

Posteriormente, ainda foi lançado mais dois filmes: Superman III e Superman IV. Essas obras terminaram de acabar com a franquia promissora do Homem de Aço. Consequentemente, foram considerados totalmente fracassos de bilheteria.

>>> LER ARTIGOS SOBRE A CULTURA GEEK AQUI <<<

>>> PRODUTOS E BRINQUEDOS DA LIGA DA JUSTIÇA <<<

Escrito por: Iolanda Strambek

Primeiramente, não sou desse planeta. Sou uma padawan, e luto todos os dias contra o lado negro da Força. Minha fraqueza é a kryptonita e torço para que o inverno chegue logo. Entre, puxe uma cadeira e aproveite o conteúdo.

Seja o primeiro a comentar esse post!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar