Transformers – A verdadeira história por trás do sucesso Assim como muitas empresas de brinquedos faziam e apostavam, a Hasbro decidiu seguir os passos do sucesso comercial de desenhos animados a partir da criação de brinquedos. Uniu-se com a empresa japonesa Takara para explorar o mundo de duas linhas de brinquedos Microman e Diaclone. Com uma boa marca em mãos e várias ideias surgindo, a Hasbro investiu fortemente na propaganda. Encomendou da Marvel Comics uma história para vender por trás dos brinquedos, e surgiu, então, os Transformers. Na época, o responsável por criar todo enredo foi Dennis O´Neil. Enquanto isso, Bob Budiansky criou o perfil de todos os personagens. Ao todo foram 80 edições da revista #Transformes de 1984 a 1993. A Hasbro também encomendou uma série de desenhos animados que foram produzidos pela Sunbrow Productions, com a ajuda do desenhista Floro Dery, responsável pelas guias visuais dos quadrinhos na Marvel. Assim, junto com os brinquedos lançados pela Hasbro, a Marvel surgia com o mais completo mundo para aventuras de Transformers, com desenhos animados e quadrinhos nas bancas. A historia por trás dos brinquedos Existem duas cronologias aceitas pela Hasbro, e unir ambas parece difícil, já que as duas se diferenciam muito. Entretanto, a mais correta seria a dos quadrinhos da Marvel, além de ser a mais completa. Transformers: Primeira versão Na primeira versão temos uma raça alienígena chamada Quintessons, que usava um planeta desabitado para ...
Mauricio de Sousa: Turma da Mônica – uma trajetória de sucesso Sem dúvida alguma Mauricio de Sousa revolucionou a cultura brasileira com a Turma da Mônica. A Turma da Mônica é um dos grupos de personagens mais populares do Brasil. Teve como criador um cartunista do interior de São Paulo, que além de ter inovado na área dos quadrinhos, formou quase quatro gerações de leitores. Uma história de sucesso para um menino que abandonou a escola e foi trabalhar. Ainda muito cedo se tornou jornalista para, enfim, conseguir abrir portas para seu sonho de ser desenhista. Seu primeiro personagem foi Bidu, em 1959, juntamente com seu dono Franjinha. O cãozinho ficou tão famoso, que se tornou símbolo do império Mauricio de Sousa. Antes de todo esse sucesso, Mauricio sofreu com o período da Ditadura Militar no Brasil. Foi tachado, muitas vezes, como comunista por suas caricaturas politicamente incorretas. Entretanto, ele sempre se mostrou firme em sua convicção de não misturar política e arte. Manteve-se neutro durante esse período conturbado de nossa história. Demanda pelos quadrinhos de Mauricio de Sousa Depois de um começo não muito fácil, Mauricio de Sousa começou a ter muita demanda por seus quadrinhos. Consequentemente, a criação de novos personagens ajudaram nessa demanda. Entretanto, chegou ao ponto em que não conseguia dar conta de desenhar quatro tirinhas diferentes por dia. Desse modo surgiu a necessidade de criar uma equipe, que trabalhava em sua casa própria casa, em S...
A criação da turma X-Men Odiados por toda população humana por serem humanos geneticamente evoluídos, os mutantes, como também eram conhecidos, são acolhidos pelo Professor Charles Xavier. Sendo um tutor, ele cria uma escola para que jovens aprendam a controlar seus poderes. E tudo começou com cinco mutantes, Ciclope (Scott Summers), Garota Marvel (Jean Grey), Fera (Henry McCoy), Homem de Gelo (Robert Drake) e Anjo (Warren Worthington III). A primeira turma estreou na revista The X-Men #1, publicada em 1963, criada pelo roteirista Stan Lee e o desenhista Jack Kirby, que fizeram o caminho para futuro brilhante dessa turma de mutantes, que dura até hoje. Mas, infelizmente, essa primeira fase durou apenas sete anos, sendo cancelada na edição #66. Personagens renovados Anos depois, foi feito uma renovação no quadro de personagens. Por consequência, as revistas em quadrinhos tornaram-se uma das mais multiculturais já desenvolvidas pela Marvel. Desse modo, entrou em cena Netuno, que é originário da Alemanha; Wolverine, do Canadá; Banshee, da Irlanda; Colossus, da União Soviética; Tempestade, do Quênia e Solaris, do Japão, e mesmo assim, os cinco personagens da primeira fase continuaram mostrando que os alunos do Instituto Xavier para Jovens Superdotados poderiam salvar o mundo caso necessário. Na revista Giant-Size X-Men #1 de 1975, os X-Men tiveram sua ascensão gloriosa. Com a ajuda do roteirista Chris Claremont e o desenhista Dave Cockrum, que mostraram que alguns grupos nunca...
Fechar