Coringa: Uma vida entre risos – Galeria de Vilões

Na galeria de vilões de hoje falaremos sobre o Coringa. Conhecido como principal arqui-inimigo de Batman, Coringa era para ter sido morto em sua primeira aparição na revista Batman #1.  Felizmente isso não aconteceu, pois caso o contrário não teríamos verdadeiro sentimento de amor e ódio por esse personagem.

Coringa

Criado por Bob Kane, Jerry Robinson e Bill Finger, Coringa seria apenas um gênio do crime psicopata sem grande futuro. Entretanto, a enorme aceitação do público proporcionou o progresso do personagem ao longo dos anos. Consequentemente, ganhou o posto de principal vilão da DC Comics, e também tornou-se um ícone na cultura popular. Além disso, foi o primeiro vilão a ter uma revista própria entre 1975 e 1976, intitulada de The Joker.

A inspiração para sua criação foi o personagem do filme O homem que ri, Gwynplaine, adaptação do livro de Victor Hugo para o cinema mudo. Interpretado por Conrad Veidt, Gwynplaine, tinha o rosto caracterizado por uma desfiguração de riso, que o fazia se considerar indigno de alguém. O filme é considerado um melodrama parecido com o O Corcunda de Notre Dame, do mesmo autor.

Coringa: A Origem

O Coringa não tem nenhuma habilidade sobre-humana, há não ser uma inteligente doentia que o faz ser um inimigo perigoso. Essa habilidade de raciocínio rápido, muitas vezes o ajudou a enganar o Batman, e a se safar de Arkham Asylum. Talvez por isso ele seja tão especial, Batman nunca conseguiu o derrotar definitivamente. Sem contar sua capacidade estratégica, Coringa consegue fugir de qualquer situação ou matar qualquer um em seu caminho. Além disso, o vilão também possui um amplo conhecimento em química, vestígio de seu passado sombrio.

Passado esse, que ainda hoje é considerado confuso por ter várias origens diferentes nos quadrinhos. Sem dúvida alguma a mais aceita, continua sendo narrada em Batman: The Killing Joke (Batman: A Piada Mortal). Escrita por Alan Moore com o desenho de Brian Bolland, a HQ apresenta Coringa tentando provar que qualquer pessoa pode perder sua sanidade.

Coringa Joker

 

Coringa em a Piada Mortal

Até a obra de Allan Moore, o Coringa era considerado um personagem sem passado, que nasceu em Gotham City. Do dia para noite o vilão começou a cometer crimes de forma caótica, atormentando com isso a vida de Batman. Em A Piada Mortal, Coringa reflete sua vida através de flashbacks, enquanto traça seu objetivo principal: provar que qualquer homem pode ficar louco.

Em um primeiro momento temos Batman indo visitar o Coringa no Arkham Asylum. Ao chegar, Batman descobre que seu inimigo fugiu, o fazendo sair ao seu encalço. Enquanto isso o Príncipe Palhaço, visita o comissário Gordon e atira em sua filha Barbara – a ex-Batgirl –, fraturando sua coluna.

Coringa The Joker

Completamente sádico e insano o Coringa, deixa um de seus comparsas espancando o policial, enquanto ele despe Barbara. Após isso, o vilão tira diversas fotos da garota naquela posição agonizante e a abusa sexualmente. Cenas que talvez não fiquem muito clara para alguns, pois não mostra claramente o ato.

The Joker

Depois, The Joker leva o comissário Gordon a um parque de diversões macabro e o deixa preso nu em uma infinita projeção de fotos da tortura de sua filha. Paralelamente a isso, temos a história do Joker sendo contada, através de flashbacks.

Um comediante fracassado que resolve assaltar seu antigo empregador, uma fábrica de Cartas de Baralho, pensando em dar uma vida mais digna a sua esposa grávida. Mas no dia do assalto tudo sai errado, sua esposa e seu filho morrem em um acidente doméstico. Durante o assalto, seus dois companheiros são mortos pela policia.

Coringa foge até chegar ao fim da linha frente a um tonel de produtos químicos. Encurralado por Batman, e em um momento de pânico, o vilão pula. Sobrevivendo ao banho químico, ele sai de lá com sua marca registrada um sorriso permanente no rosto, além dos cabelos verdes, e a pele branca em contraste com os lábios vermelhos.

Joker Coringa

Consequentemente, Coringa fica totalmente insano, e com essa ideia em mente, ele tenta provar sua teoria com o comissário Gordon. Mas sua tese se mostra invalida, já que Gordon fica apenas traumatizado e não enlouquecido depois que Batman o salva.

Por fim, temos momento de conversa entre o herói e seu arqui-inimigo. Joker revela muitas vezes não saber a origem de seu passado, preferindo ter várias opções para suas origens. O que se subintende que essa história pode ser real ou não, e basta o ponto de vista do leitor. Mesmo assim, A Piada Mortal continua sendo a origem mais aceita.

Nessa graphic novel temos também um Coringa humanizado, apesar de seus atos psicóticos, que quebra aquele velho paradigma que vilões e heróis são naturalmente opostos uns dos outros. E no final rimos de uma piada nada mortal, entre Batman e Coringa.

Entre armas e risos

O Palhaço do Crime tem entre suas armas preferidas, o gás do riso, que ao ser inalado a vítima sofre com ataques de risos, e os músculos do rosto se contraem em risos grotescos levando à morte da vítima. Há também uma flor em sua lapela que solta um ácido, fazendo toda a diferença quando os seus inimigos estão perto. Mas não são só armas leves que fazem sua alegria, ele possui um completo fascínio por explosivos. Talvez por isso seja o vilão que mais matou inocentes nas histórias em quadrinhos, muitas vezes, de maneiras completamente assombrosas.

Nos quadrinhos, Coringa também usa uma lupa nas mãos que dá choque e sempre tem em mãos alguma arma de fogo para ameaças.

O Coringa já teve várias oportunidades de matar Batman, mas sempre se recusou por achar que talvez nunca encontrasse outro oponente a sua altura. Nesse contexto, os dois vivem um eterno relacionamento conturbado, que se completam como yin e yang. Um Batman sombrio e sério contra um Coringa colorido e louco. Talvez Joker seja ainda muito mais adorado pelo seu jeito descontraído e louco do que o Batman com seu ego amargurado.

Como o próprio Coringa disse:

“Nós deixamos de procurar os monstros embaixo de nossas camas, quando percebemos que eles estão dentro de nós.”

Com essa frase temos a certeza que o objetivo do Coringa sempre será achar o monstro que existe dentro do Batman. Desse modo, provando suas teorias macabras, já que matá-lo nunca será uma saída.

Você também pode se interessar:

–> Batman – Um Super-Herói nas Sombras

Escrito por: Iolanda Strambek

Primeiramente, não sou desse planeta. Sou uma padawan, e luto todos os dias contra o lado negro da Força. Minha fraqueza é a kryptonita e torço para que o inverno chegue logo. Entre, puxe uma cadeira e aproveite o conteúdo.

Seja o primeiro a comentar esse post!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar