Quando a criança berra, bate o pé e argumenta com o adulto no momento de ouvir um “não”, ela pode ter entrado num processo de dificuldade de aceitação quando seu desejo não é atendido. Nós sabemos que, em muitos casos, fica difícil para os pais negarem o pedido do filho. Porém, satisfazer todas as vontades pode gerar um comportamento nada agradável no futuro.

A psicóloga Bárbara Fernandes explica sobre como não devemos mimar nossos filhos, mas sim, orientá-los com amor e, principalmente, com limites.  Confira a seguir:

1) Existem vários fatores que levam a criança a ser mimada, você pode citar alguns deles? Como você definira o comportamento de uma criança com essa característica?

A terminologia “criança mimada” pode ser compreendida como um conjunto de atitudes e comportamentos em que a criança se torna intolerante a outras vontades que não sejam as próprias. A palavra “birra” é usada para se referir a estes comportamentos que incomodam. Isso acontece porque as crianças ainda não têm maturidade suficiente para lidar com noções as frustrações que as incubem.

Se a criança tem dificuldades em lidar com limites, pode desenvolver um padrão de comportamento em que escolhe fazer apenas o que gosta, passando a agir de maneira intolerante, o que reflete sua dificuldade em lidar com imposições e incorporação de regras. Mimar uma criança pode ser muito prejudicial para o seu desenvolvimento.

2) Por que alguns pais possuem dificuldade em dizer “não” aos filhos?

A dificuldade em dizer não é relativa e depende da vivência pessoal de cada indivíduo. Muitas vezes, há a intenção de evitar que o filho se decepcione, por acreditar que isso possa ser prejudicial para seu desenvolvimento. Porém, a frustração é necessária para que a criança encontre meios de lidar com a mesma.

As insatisfações se apresentam diariamente ao longo da vida, e não há como criar um ser humano sem contrariar suas vontades. O cotidiano de uma criança pequena já inclui uma série de desgostos que fazem parte da existência.

3) Como os pais podem saber se estão mimando seus filhos? Uma criança mimada demonstra esse tipo de comportamento a partir de que idade?

Considera-se que até os 7 anos os limites na criança se constituam. Nessa fase, é esperado também que as crianças caminhem gradativamente do natural egocentrismo infantil, para a coletividade adulta. Da individualidade, à diversidade. Desse modo, a ausência de conflitos é utópica.

A ideia não é eliminá-los, e sim, enxergar momentos de tensão como oportunidades para praticar o diálogo e aprendizagem. Cabe ao adulto mediar e promover a reflexão dos valores cultivados.

4) Na adolescência e vida adulta, como uma criança que foi constantemente mimada pode agir?

Essa também é uma questão relativa, visto que depende dos fatores que interferem e influenciam no desenvolvimento de cada criança, considerando seus contextos histórico-culturais. Provavelmente, se este comportamento de birra permanecer, seu padrão de comportamento se manterá na fase adulta sobre a intolerância a frustrações e sobre exigir satisfação imediata de suas vontades.

5) Passar longos períodos com os avós, pode acarretar um comportamento mimado nos pequenos? Já que esses parentes tendem a fazer todas as vontades das crianças.

Nem sempre os avós precisam ceder a todas as vontades das crianças, pois, como adultos, também podem exercer figuras de autoridade para os pequenos, não sendo necessário mimar os pequenos para um bom relacionamento. Nesse sentido, podem combinar com os pais responsáveis, atitudes que não sejam comprometedoras para o desenvolvimento infantil da criança.

Também, um aspecto prejudicial para o desenvolvimento é algo que se mantém como padrão. Ceder a algumas vontades, não necessariamente está relacionado ao comportamento de birra.

6) Para as famílias que têm dificuldade em orientar as crianças nesse sentido, qual seria sua dica?

Os responsáveis pela criança podem criar estratégias frente ao comportamento de birra. Isso pode fazer com que a criança compreenda que há outros meios de se conquistar o que almeja e entender que nem tudo o que se quer é possível. Assim, os adultos podem auxiliar as crianças a aceitarem a frustração como algo possível de ocorrer, a expressarem seus sentimentos de forma positiva e apender a lidar com essas sensações.

É importante que a criança reflita sobre seus comportamentos e compreenda o que estes podem gerar ou causar, ou seja, todas as atitudes têm consequências. Elogiar o bom comportamento é muito importante, pois ressalta as relações de amor e respeito.

 7) Quando a criança já está agindo a partir de comportamentos mimados, os pais precisam procurar ajuda?

Em qualquer situação, o acompanhamento psicoterápico e/ou multiprofissional auxilia no desenvolvimento humano. Em relação ao comportamento de birra, é indicado que os pais procurem ajuda quando é percebido que este se instaurou como um padrão de comportamento que gera tanto comprometimentos no desenvolvimento infantil, como sofrimento e angústia, pois reflete uma dificuldade da criança em enfrentar e lidar com certas situações.

É também importante tomar medidas preventivas quando este padrão de comportamento começa a dar alguns indícios, já sendo necessário um acompanhamento precoce, pois, muitas vezes, a criança apresenta questões emocionais para serem acompanhadas.

Dizer não é um gesto de amor. Observe o comportamento do seu filho e como ele reage perante algumas situações.

Conte para a gente aqui nos comentários sobre alguma situação que você passou em casa, e precisou dizer “não”.

Bárbara Fernandes é formada em psicologia pela Universidade do Sagrado Coração. CRP 06/136480

Acompanhe outras entrevistas sobre o comportamento das crianças que podem te ajudar em casa.

Escrito por: Maria Luísa Bergamasco

Jornalista. Acredita que através da informação e do conhecimento, famílias podem trocar experiências e expandir suas ideias. Adora ouvir histórias, comer petiscos e sentar em botecos.

Seja o primeiro a comentar esse post!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar